Diários de Quarentena [excertos] #10

© Catarina Câmara

Diários de uma Quarentena

Com a suspensão das atividades presenciais, devido ao estado de pandemia por COVID 19, o projecto CORPOEMCADEIA (CC), em colaboração com a Direção do EP LInhó, implementou um regime semanal de encontros/sessões on line e a distribuição de emails com desafios criativos, partilha de pensamentos, imagens e histórias.

O resultado tem sido um vai-vem de palavras e imagens entre a equipa do CC e os participantes, que nos faz desenhar outros movimentos e ajuda a abreviar a saudade.

Aqui deixamos fragmentos de algumas dessas cartas escritas pelo grupo de participantes.


“Sintonizo a RFM na rádio e deixo divagar o pensamento ilimitado e imaginativo. Acompanham-me ? O mundo inteiro reduzido à imediatez de uma prisão, pior ainda do que uma prisão senão imaginarmos nada fora desta. Graças à imaginação, até o preso pode evadir-se para lá dos muros, gozar ainda uma certa liberdade, aceder a outras verdades que não as dos sentidos. A imaginação não está limitada às coisas e não precisa de se deixar governar pelo vulgar. Liberta-nos do imediato, dá-nos a descobrir novas dimensões da realidade. A imaginação não está limitada ao omnipresente, torna possível a saída do tempo, criar outro mundo, quebra com tudo o que confina no que é real.

Aproveitei para recorrer à imaginação para não dar em doido. Pus de lado a minha ideologia e comecei a criar uma máscara.

A criação artística é o novo modo que o homem tem de se apropriar da realidade que nela se espelha. A expressão artística muda consoante quem exprime e o que há a exprimir e em milhares de pessoas que presenciam uma das 7 artes, não há duas que a sintam da mesma maneira.

Cada vez que respiramos, afastamos a morte que nos ameaça. No fim,  ela vence pois desde o nascimento é esse os nosso destino, e ele brinca um pouco com a sua presa antes de o comer. Mas continuamos a viver com grande interesse e inquietação durante o máximo de tempo possível da mesma maneira que sopramos uma bola de sabão até esta ficar bastante grande, embora tenhamos a certeza absoluta de que esta vai rebentar…

Qual é a coisa mais auspiciosa da tua vida: É o vaivém da respiração. Sempre que vem traz a dádiva da vida. Traz-te a tua existência. Não amanhã. Nem ontem. Agora, neste momento. E neste momento em que a respiração vem, não há coisas más. Só boas. Mas será que sabemos qual o valor da respiração? Sabemos tantas coisas mas será que sabemos voar no campo do coração? Se não sabemos então vai chegar o dia em que aquilo que sabemos não servirá de nada. Descobre o que está dentro de ti, compreende o que o teu coração te diz.

O único mal da distância é a saudade fica entre os pontos que se querem comunicar.”