Diários de Quarentena [excertos] #07

© Catarina Câmara

Diários de uma Quarentena

Com a suspensão das atividades presenciais, devido ao estado de pandemia por COVID 19, o projecto CORPOEMCADEIA (CC), em colaboração com a Direção do EP LInhó, implementou um regime semanal de encontros/sessões on line e a distribuição de emails com desafios criativos, partilha de pensamentos, imagens e histórias.

O resultado tem sido um vai-vem de palavras e imagens entre a equipa do CC e os participantes, que nos faz desenhar outros movimentos e ajuda a abreviar a saudade.

Aqui deixamos fragmentos de algumas dessas cartas escritas pelo grupo de participantes.


Realmente isto sem o Corpo em cadeia presente não é a mesma coisa. Aborreço-me a ir à sala de reuniões do Sr. Diretor às 2ªas feiras para receber os papéis, o que quero é ação.

Os meus dias têm sido assim, ocupando a mente e não ficar parado a lamentar. Por mais ruins que nos pareçam as coisas e que na verdade são ruins, tento sempre estar positivo e pensar positivo para que coisas boas aconteçam.

Acabei de ver no telejornal, reclusos que saem mais cedo “perdão de pena” devido à Pandemia, 3 deles quiseram-se entregar voluntariamente porque têm medo de voltar ao crime, não têm casa e a única saída seria voltar ao crime . O estado simplesmente manda para a rua e não ajuda, depois, queixam-se o crime está a aumentar.

Garanto-vos uma coisa, eu, quando sair daqui e puser a minha vida em ordem, irei voluntariar-me no lugar certo, a fim de ajudar  e dar rumo a este tipo de reclusos.

Eu antes de entrar de cana, não sabia que este tipo de coisas aconteciam, eu julgava mesmo que o estado ajudava a reincidir estes reclusos na sociedade (é como dizem, julgo), afinal parece que não.

Tenho um desafio para vocês. O que significa para vocês esta frase: “ Se estiveres perante um grande problema, isto apenas significa que está a ser uma pessoa pequena”